Primeiros socorros NR 35: saiba o que fazer

Primeiros socorros NR 35

O que você faz nos 6 primeiros minutos após um acidente em altura pode salvar uma vida! Se o acidentado for socorrido da maneira certa, suas chances de sobrevivência aumentam. Os primeiros socorros Nr 35 (trabalho em altura) são os procedimentos que antecedem a chegada de um atendimento profissional. 

Você sabe o que fazer se um colega de trabalho se acidentar em altura? A vida dele pode depender disso. 

Riscos do trabalho em altura

Se você trabalha em altura conhece de perto a tensão diária de estar exposto ao risco da queda. No Brasil, 40% dos acidentes de trabalho tem relação com queda, de acordo com o Ministério do Trabalho

Por um descuido, andando sobre um andaime, por exemplo, você pode ter consequências fatais. 

“Mas eu sou um profissional experiente. Trabalho em altura há muitos anos. “ 

Mesmo com toda a cautela e experiência, trabalhar em altura sem medidas de prevenção feitas a partir de um mapeamento dos riscos, ainda te coloca em perigo.

Além da queda, você também pode estar exposto a outros riscos ambientais, que dependem das condições do local e particularidades da atividade. 

Existem muitos tipos de trabalho em altura: pinturas de fachadas, construção civil, montagem e desmontagem de estruturas, limpeza de caixas d’água, entre outros. 

Para identificar os riscos é preciso aplicar uma avaliação que considere os perigos específicos da atividade. É a partir dessa avaliação que você pode considerar as medidas de prevenção necessárias. 

Alguns riscos típicos do trabalho em altura são:

  • Queda
  • Ser atingido por objetos e materiais em queda
  • Choque elétrico (quando associado à exposição a energia elétrica)
  • Riscos adicionais: clima (frio, calor, ventos ou chuvas) e animais peçonhentos 

Primeiros socorros NR35

Os primeiros socorros são os primeiros cuidados que a vítima recebe antes da assistência médica chegar. Ele não pode ser feito por qualquer pessoa. 

Os procedimentos envolvem conhecimentos técnicos específicos, por isso, o treinamento também é uma medida de prevenção. 

A NR35 determina que todas as atividades em altura superior a 2 metros da base devem ser planejadas e adequadas a medidas que eliminem os riscos de queda. Mas, caso a queda aconteça, a norma orienta que sejam feitos procedimentos de primeiros socorros. 

Os primeiros socorros NR 35 não resolvem todo o problema, mas permite que o estado da vítima seja controlado. O principal objetivo é minimizar a piora do quadro e manter os sinais vitais. Além disso, o socorro traz calma e segurança para a vítima. 

As medidas de primeiros socorros Nr 35 (trabalho em altura) precisam ser tomadas imediatamente. No trabalho em altura, o sistema de proteção de quedas protege do impacto direto com o solo. O trabalhador fica suspenso e inerte em um cinto de segurança. Mas em alguns minutos o quadro da vítima pode piorar. 

A análise de risco do trabalho em altura deve considerar as situações de emergência e planejar as medidas de primeiros socorros e resgate. O ideal é que o resgate aconteça em tempo inferior a 6 minutos. 

O que você precisa para realizar um salvamento em altura ?

Primeiramente, para socorrer uma vítima de acidente em altura você precisa de treinamento. Todos os procedimentos de primeiros socorros NR 35 dependem de conhecimentos técnicos. A vítima já estará em uma condição delicada, qualquer medida inadequada pode piorar o quadro de saúde dela. 

O treinamento NR35 também ensina como se deve agir em situações de emergência, incluindo técnicas de resgate e primeiros socorros NR 35. 

De acordo com a norma, o empregador deve disponibilizar uma equipe pronta para responder às emergências do trabalho em altura. Além disso, precisa assegurar os recursos necessários para que essa equipe trabalhe. 

Em segundo lugar, para realizar um procedimento de primeiros socorros NR 35 em altura, é necessário controle emocional. Manter a calma e conseguir controlar a situação com convicção do que está fazendo, é essencial para não agravar a situação.  

5 passos para Primeiros socorros NR 35 (vítima no trabalho em altura)

  • Avalie o local do acidente

Ao chegar no local do acidente, tente agir de forma rápida e segura. Mantenha os curiosos afastados para evitar confusão, e recolha todas as informações possíveis sobre o que aconteceu. 

Observe se o local ainda oferece riscos para a vítima, e para quem estiver por perto. Tem algum fio desencapado? Algum veículo trafegando por perto?  Alguma máquina funcionando?

 Fique atento! Desligue a corrente elétrica se for preciso e afaste as pessoas desprotegidas. 

  • Isole e sinalize o local para evitar aglomerações

Manter a tranquilidade no ambiente vai te ajudar a fazer todos os procedimentos        com maior assertividade. Além disso, é importante proteger a vítima.

  • Peça ajuda aos serviços de emergência 

Você deve agir apenas até onde seu conhecimento e técnica de atendimento alcança. Os primeiros socorros são atendimentos iniciais, por isso é importante entrar em contato com os serviços de emergência assim que identificar o que aconteceu no local. 

Passe as informações com calma e clareza e aguarde as instruções. 

  • Avalie o estado da vítima 

 Faça uma observação rápida e sistemática das condições físicas da vítima, observando as seguintes características:

  • O estado de consciência: A vítima responde quando você chama ¿
  • Respiração: observe se o peito e o abdômen da vítima fazem movimentos de entrada e saída de ar. Observe também a entrada e saída de ar da boca e narinas. 
  • Hemorragia: A vítima está perdendo sangue? Qual o volume e a qualidade do sangue?
  • Temperatura do corpo 

Se a vítima estiver consciente, pergunte qual parte do corpo dói, e se ela consegue se mover de alguma forma. Você também pode testar o reflexo e a consciência por toque ou estímulos mais fortes, como beliscões. 

Se mesmo assim a vítima não responder, é possível que ela esteja em Parada Cardiopulmonar. Você deve iniciar imediatamente a Reanimação Cardiopulmonar (RCP). 

Primeiros socorros NR 35 para vítima de suspensão inerte

Você já ouviu falar em suspensão inerte? Todo trabalho em altura deve ser feito com o uso de Equipamentos de Proteção Individual. O principal objetivo dos equipamentos usados no trabalho em altura é evitar a queda. Mas ela não é o único risco que o trabalhador corre. 

O uso do cinto de segurança tipo Paraquedista evita que o trabalhador chegue ao chão em caso de queda. Mas se ele ficar suspenso por muito tempo, o cinto pode comprimir o fluxo sanguíneo e comprometer o sistema circulatório. A síndrome de suspensão inerte é o nome que damos ao trauma que o trabalhador pode sofrer se ficar suspenso por muito tempo. 

A vítima pode apresentar sintomas como:

  • Tontura;
  • Náusea;
  • Dor de cabeça;
  • Perda de visão; 
  • Dormência nas perdas;
  • Desmaio;
  • Palpitações;

Alguns traumas podem ser irreversíveis. 

Não existe um tempo fixo para o aparecimento dos sintomas. Cada corpo pode reagir de um jeito. Mas em média, a partir de 5 minutos eles podem progredir rapidamente. Por isso, o resgate deve ser rápido.

Se você identificar os sintomas da síndrome de suspensão inerte, os 10 primeiros minutos de primeiros socorros é crucial. 

Você deve: 

  • Desenrolar as tiras do cinto de segurança
  • Bombear as pernas para diminuir a aglomeração de sangue no local
  • Posicionar a vítima deitada de barriga pra cima 
  • Se houver alguma lesão na coluna, usar a prancha de resgate ou colar cervical
  • Se a vítima estiver inconsciente, abrir as vias respiratórias
  • Observar os sinais vitais, e se necessário, fazer reanimação cardíaca 

Uma análise preliminar de risco é essencial para administrar as estratégias de resgate e salvamento. Acompanhe esse artigo que vai te mostrar tudo sobre Análise Preliminar de Risco.  

Compartilhe esse post:

Outros Posts

Ao clicar em Whatsapp, você concorda com esta operação de tratamento de dados pessoais. Não compartilhamos dados, utilizando-os exclusivamente para a comunicação com os nossos usuários.

Ao clicar em Whatsapp, você concorda com esta operação de tratamento de dados pessoais. Não compartilhamos dados, utilizando-os exclusivamente para a comunicação com os nossos usuários.